Os lúcidos seguidores

29 de ago de 2012

O superficialista



            A suas palavras não tinham forças. O seu rosto não tinha expressão. Falava e falava e não conseguia explicar nada. Palavras falsas, palavras que ao peso do vento, se quebravam ao chão. O seu rosto com tudo isso continuava sem expressão, na superficialidade de sua personalidade, não conseguia dizer nada. Viveu copiando as palavras alheias, já que nunca teve forças, para evocar as suas próprias palavras. 

28 de ago de 2012

Os velhos olhos




            Os velhos olhos de uma moça, voltaram. Um mundo aos seus pés. Pés de moça, mas que escondem os calos, que muitos homens não há de ter. Ela acha graça nas cantadas, mas não liga para isso, já esta vacinada contra o males. A moça, talvez só tenha corpo de moça. Bebe a partir das dez e vira a noite, dançando com sua solidão e cantando o seus males. Faz de sua vida uma história, que causa inveja, afinal com tão pouco se faz feliz. Guarda a felicidade nos copos que ela insiste em virar, mas não depende só deles. A felicidade da moça, é ela quem faz, no copo, na dança, no beijo mal amado ou até mesmo no tapa que se leva, ao dizer a verdade. A verdade não a choca, ela vive sem pudores e rir das ilusões alheias. Os velhos olhos voltaram, mostrando escancaradamente a verdade por trás desse mistério, conhecido apenas como moça.

27 de ago de 2012

A cegueira



            A cegueira para mim é um mal que consome a humanidade. Muitos que convivem em nosso meio são cegos que fingem ver, mas no final, é tudo uma ilusão. Estamos cegos de razão, cegos de certeza e de incerteza, estamos cegos de tudo aquilo que nos bloqueia. A sociedade esta cega, a favor da minoria. Pois vê não faz bem, para o desenvolvimento da massa.

26 de ago de 2012

Só tenho a lamentar a ignorância alheia




            Muitas vezes, algumas pessoas deixam de dialogar e impõe a vontade delas, sem nenhum dialogo, impõe uma ditadura, mesmo que momentânea. Buscam razões e motivos, em falsas leis, para justificar tudo aquilo que fazem. Fazem algo que influencia diversas pessoas, sem o consenso das mesmas, isso é impor. Pena que muitas pessoas não gostem de conversar, dialogar e não estejam abertas a novas ideias, apenas tentam enfiar goela a baixo a ideologia e as regras deles. Só tenho a lamentar a ignorância alheia. Pois muitos problemas que hoje ocorrem em diversos cantos dessa nossa sociedade, seriam evitados se houvessem menos pessoas com as cabeças achatadas, quadradas e super fechadas.

25 de ago de 2012

Pessoas



Eu tenho a escassez de algo que é essencial para muitos. Alguns diriam que é sorte, outros diriam que é azar da minha parte. Mas para mim é apenas um mal necessário, que eu insisto em ignorar.