Os lúcidos seguidores

29 de mai de 2011

Consequências



Vivo sem ligar para as consequências, mas as consequências me fazem ligar para a vida.

28 de mai de 2011

Problemas bohemicos



Nesses momentos difíceis a única coisa que eu quero é  beber para começar ver as coisas de uma forma diferente, curtir e virar uma noite sem fim,  curtindo ao som de AC/DC, quero acordar numa amanhã, e ver a luz queimar meus olhos de ressaca, sabendo que todos meus problemas ficaram junto com o álcool ao qual despejei no banheiro.

27 de mai de 2011

Minha mente entorpecida




Minha mente entorpecida
Me entorpece dia a dia
Meus pensamentos cansativos
Minhas ideias carnais
Minha mente entorpecida
Não vê coisas iguais
Vê pessoas diferentes
E momentos banais
Minha mente entorpecida
Me envenena com meu veneno
Minha mente é o antidoto 
Dela mesma 



25 de mai de 2011

Escolhas



Em um momento o nada
Em outro o tudo
No meio o vento da indecisão

22 de mai de 2011

O pingo


Ao olhar suas fotos
Meu tímido rosto
Se manifesta
Um sorriso no canto da boca
E uma lágrima na foto

20 de mai de 2011

Eu vi



Eu vi todos surgirem com uma felicidade tão singela e vi os mesmos morrerem com uma raiva tão sutil. 

18 de mai de 2011

A menina que senta do meu lado


Não agüento, mas esses comportamentos medíocres dessa sociedade montada, não agüento mas sentar ao lado dessa menina que nunca vi na minha vida e ter que conversar sobre o último caso de TV, para termos algo para conversar, quero o meu direito de não ter que falar nada, o que é a privacidade nesses tempos? em que a privacidade é algo que se vende afim de patrocinar o prazer de alguns milhões, quero meu direito de sair dessa sociedade, de não ter que agüentar pessoas fingindo serem elas mesmas, para cumprir aquilo que foi determinado, queria eu descer desse mundo, afinal não agüento mas conversar com a menina do lado, só porque estou do lado dela.

O surgir


Ao acordar hoje, vi as flores desabrocharem e minha vida enfim surgir. 

16 de mai de 2011

Somos o que somos


Somos tão perfeitos na arte de mentir, que mentimos em um tom de verdade, para enganarmos nós mesmos e esses ouvidos calejados, de uma forma sutil e amarga, fingindo todos nos uma falsa verdade.

A vida


A vida atordoada 
Mais uma dose de cachaça
A vida sem sentido
Mais um trago nisso
A vida acaba 
Um tapa na cara

15 de mai de 2011

Os versos incompletos



Nas linhas desses versos bem desenhados, lidos pelos meus olhos embriagados, meu olhar a se perder quase confuso, levemente sedado e hipnotizado, e os traços de tinta desse verso, carregam minhas dúvidas eternas e minhas tolas certezas de que sou poeta, e nesse momento de lucidez eu sei perfeitamente que meu sangue és a tinta que pinta esse papel, afinal dou um pouco de mim e dos outros para cada um punhado de letras, meu ser é a caneta que suja tudo que toca, minha alma pequena são os versos incompletos, que sobram na gaveta.

13 de mai de 2011

Embriaguez poética


Embriaguei-me de mim mesmo, e vivi a pior de todas as ressacas, a ressaca moral.

Estático



A vida passa, a vontade passa, o medo passa, o sorriso passa, tudo passa diante meus olhos, menos o tempo, que insiste em ficar estático; ao me levantar da cadeira e caminhar até a porta, meus olhos sutilmente vêem o relógio com ponteiros parados.

9 de mai de 2011

Quando a nada o que se fazer

 Quando a coragem encarna no nosso corpo, e as opções de como usa-la são praticamente nenhuma e a única coisa a se fazer é sentar e assistir TV, a angústia mórbida nos penetra e nos conforma de que a única coisa a se fazer é aceitar que toda sua coragem e sua vontade se esvaíram, para um mísero programa televisivo.

8 de mai de 2011

Silêncio imaturo


O silêncio da resposta, significa qualquer resposta que você ache mais conveniente dar, naquele momento, assim o silêncio nos enche de dúvida sobre a real resposta que poderíamos ouvir, o silêncio nos come pela expectativa de alguma resposta que nunca vai chegar, a cada segundo você já tentando prever o movimento da boca dizendo algo, que na verdade nunca dirá, pois o silêncio lá se entregou e selou na boca as palavras que resolveriam suas dúvidas, apenas agora você tem uma possível resposta, na dedução aleatória do silêncio, afinal para quebrar o silêncio precisa-se ter o que dizer, e o que dizer no momento certo quando faltam-lhe palavras, não precisa de palavras para dizer o que suas lágrimas já dizem.



Sonho de um louco



No caminho para o inferno de falsas flores, vi sois queimam meus olhares, e apenas você permanece intacta nessa minha loucura de uma pessoa demente, no horizonte longe, onde tudo se destrui e você construí no mesmo segundo que tudo se quebra, ao chegar perto de você em um simples relance, vejo seu olhar com imagens do passado, um passado em que eu era um menino que destruía flores, que talvez poderiam um dia alguma daquelas flores que morrera em minhas mãos, estar a sete palmos a cima do meu corpo.

7 de mai de 2011

Compra-se felicidade


Se sua felicidade fosse um produto, e ele tivesse a venda, quanto ela valeria? 25 centavos? 1bilhão? nada? ou seria tão valiosa a ponto de ninguém puder comprar?

Queen Don't Stop Me Now

O fotógrafo


Por trás da lente sempre tem uma mente, em constante erupção

4 de mai de 2011

Negro gato



Nessa noite ao qual o crepúsculo negro cai sobre mim, como uma manta perfeita, alimenta meu cárcere e me satisfaz ao prazer sutil. 
Ao longe um felino que desceu dos céus com sua cor fúnebre, e se equilibra no muro andando suavemente, desfilando sua exuberância provocadora para a dama noite, ao qual o contempla, com seu eterno silêncio de aprovação, ao longo de alguns milhares de segundos, andando tão perfeitamente com seus passos marcados, que pareciam ser ensaiados, ele passa manso com sua face em direção a minha, nesse instante vejo seus olhos negros que me seduzem a mais pura e complexa conformação. Eu soberano dele, e ele uma parte de mim, ao um pulo certeiro suas patas agarram meu ser, me acertou em cheio, ao cair vi a negritude cair comigo, minha alma agora negra, se funde a escuridão, no devaneio do meu cárcere, me vejo sutilmente pelo reflexo borrado do espelho, um tímido sorriso.

Eu sou...


Sou quem eu posso ser, não sou quem eu quero ser, um dia serei o que realmente sou.

3 de mai de 2011

Sonhos reais


Para quê dormir? Se podemos sonhar acordado, de olhos abertos.

Discurso de um lúcido


Coisas sujas e depravadas
De pessoas imundas e imorais
Mundo cruel e inacabado
Que suja minha alma
Que antes era tão pura
Pessoas hipócritas saibam
Que nunca saberão quem sou

2 de mai de 2011

Realidades ilusórias



Quando eu durmo tão profundamente e sonho coisas irreais, me confundo quase sem querer com minha realidade, ao abrir meus olhos para o dia e a luz começar a me iludir, eu sinto a angustia de ter que me levantar, nessa hora tenho certeza de que estou sonhando e que eu quero acordar .

1 de mai de 2011

Me perguntaram


Uma vez me perguntaram se tinha algo que eu não conhecia, e tinha interesse de algum dia conhecer, pensei por alguns minutos e respondi firmemente: Eu

Amigos que eu sei



Se para cada amigo meu, eu bebesse uma dose de Gim, ficaria sóbrio. 

Corpo selvagem


Eu até queria mudar meu eu, queria ser um reles plebeu, mas o meu ser enfim consolidado, não aceita já chateado, outra personalidade, nesse corpo selvagem.