Os lúcidos seguidores

15 de mai de 2011

Os versos incompletos



Nas linhas desses versos bem desenhados, lidos pelos meus olhos embriagados, meu olhar a se perder quase confuso, levemente sedado e hipnotizado, e os traços de tinta desse verso, carregam minhas dúvidas eternas e minhas tolas certezas de que sou poeta, e nesse momento de lucidez eu sei perfeitamente que meu sangue és a tinta que pinta esse papel, afinal dou um pouco de mim e dos outros para cada um punhado de letras, meu ser é a caneta que suja tudo que toca, minha alma pequena são os versos incompletos, que sobram na gaveta.

Nenhum comentário: