Os lúcidos seguidores

26 de nov de 2011

Alucinação


Delirio
Loucura
Visão
Curvas
Molduras
Perdão
Vida
Morte
Ressurreição
Viagem
De uma alucinação

25 de nov de 2011

O fingidor



Poeta é um grande fingidor da vida
Que ilude os atos
Que sonha alto
Inventa seu próprio vento
Que gira seus moinhos
No descontento da vida
Inunda seu quarto
De lagrimas reprimidas
Mulheres escondidas
Papeis manchados
Sangue derramado
De amores efêmeros
Poeta ilusório
Vê com seus olhos, prazer
Onde só penetra a dor
Pelo amor de nunca ter
Ser poeta, encantado
Pela vida realista
De seus sonhos, sonhadores
Derrotados

24 de nov de 2011

Mundinho estreito



Sábio é o homem que tenta se encontrar, fora do seu mundo medíocre e repetitivo.

Falso julgamento


Eu via no teu semblante respostas minhas guardadas no tempo, no teu corpo minhas duvidas de quanto você era capaz, no teu jeito, no teu acalento eu via minha paz, suas curvas, nada eram do que as curvas da minha ignorância, de pensar que você sem ganância fosse me trair, arrependo-me hoje chorando em cima das águas salgadas que eu chorei ontem por ti.

Tarantino's Mind

O Curta dessa semana é de um grande ator ao qual eu admiro muito, Selton Mello.
E para quem curte Tarantino essa é uma ótima pedida, o vídeo é de 2008, mas não custa nada divulga-lo.





Tarantino's Mind é um filme de curta-metragem brasileiro, estrelado por Seu Jorge e Selton Mello, com direção e roteiro coletivo da 300 ML e produção da Republika Filmes.
Esteve entre os dez filmes internacionais mais votados pelo público na décima oitava edição do Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo.

23 de nov de 2011

Amor mortal


Amar, morrer aos poucos
Num mar sem se afogar
Morrer afogado
No mar que não se afoga
Morrer sem sentido
Aos poucos o corpo consumido
Como o incenso que queima 
Meu corpo queimou

22 de nov de 2011

Expectativas



Me magoei demais, me iludi, partir meu coração diversas vezes, por isso decidi podar a minha árvore de expectativas, derrubei os frutos, e cortei os galhos.

Vício poético


Escrevo pelo vício de me satisfazer, jogando palavras de qualquer jeito, mostrando minha cabeça confusa, nas palavras incertas desse meu viver.

21 de nov de 2011

Schopenhauer, o que é ser mosdesto

Eva


O teu difundir me delira, tua aparência de menina má, seus olhos penetrantes, esse seu jeito que não me conformo, o seu andar, suas atitudes perante os momentos onde o vento sopra, e as rosas abotoam-se, esses seus cabelos amarrados, igualmente meu coração se encontra, tua fala suave, mas intensa quando passar pelo imo, essa sua feição nos risos, esse jeito inexplicável, as palavras contidas, essa sua forma de vida tão diferente e igual a todo resto, esse seu jeito que deliria meu eu, mulher vampira, menina má, dama púrpura.

19 de nov de 2011

Sinceridade inoportuna

A minha sinceridade é um veneno para as pessoas, é um veneno para as ilusões delas, serei sincero em dizer que não existem dragões, serei bem sincero ao dizer que o amor esta morrendo, e verei as pessoas se debatendo, em uma realidade cruel, pois eu serei muito sincero, em dizer que vivemos de sonhos, e que muitas vezes nos perdemos neles, serei o chato por acabar com a brincadeira, e direi, que não somos nada, além de nos mesmos.

Cidade labirinto



Essas cidades mal elaboradas
Foram feitas para pessoas desnorteadas
É melhor que todos saibam
Que queremos saber o que vai acontecer
Com esse mundo de cidades labirintos
Nos queremos apenas viver
É preciso prever os passos
Antes da gente se perder
É preciso saber que vamos esquecer
Esquecer as paredes, caras e dos corações
É preciso saber escutar as palavras
Desse mundo, meio imundo
Eu não sei, sinceramente
O que fazer nessas ruas
Caminhamos para a chegada
Mas na verdade andamos
E chegamos de onde saímos

18 de nov de 2011

Convivência



Pessoas são espinhos, necessários em nossas vidas

Ouija

Toda semana postarei aqui algum curta premiado em algum concurso nacional e hoje para estréia esse vídeo, Ouija



Ouija foi o curta-metragem de conclusão da Gatacinescola 2009, curso de cinema da produtora Gatacine. 

Participou dos seguintes festivais:
- 14º Florianópolis Audiovisual Mercosul (FAM); 
- 20º Cine Ceará em 2010; 
- 1º Festival do Sesi 2010; 
- Curta-SE 2010; 
- XXV Festival de Cinema Latino Americano Trieste (2010).

Ganhou os seguintes prêmios:
- 20º Cine Ceará em 2010: Melhor Som;
- 1º Festival do Sesi 2010: Melhor Roteiro, Melhor Diretor, Melhor Edição e Menção Honrosa.

Sinopse: Um grupo de jovens vem sendo atormentado por um espírito que ainda não tomou consciência de sua morte. Para acabar com esse tormento, resolvem se reunir à meia noite na casa abandonada onde o garoto morreu e, através da brincadeira do copo, contar a ele a triste notícia.

17 de nov de 2011

Mãos, pessoas e uma sociedade




Viver e cumprir com suas obrigações de civilidade, é sempre algo muito desafiador, até mesmo para o mais educado cidadão da cidade, é tão desafiador quebrarmos nossos vícios e corrigir nossos erros, para assim cumprimos nosso dever, mas é nossa obrigação fazermos isso, independente de quanto difícil seja para qualquer pessoa aceitar.
É tão difícil assim, respeitar o próximo? Não somos obrigados a aceitar tudo, mas somos obrigados a respeitar todos, todos nos somos iguais, a mesma carne, a mesma pele, o mesmo sangue vermelho com gosto de ferro, somos seres vivos, e merecemos o mínimo de respeito, e é justamente isso, algo tão básico, que muitas vezes pessoas não tem, muitos esquecem que não são feitos de aço. Muitos esquecem que sangram igual o semelhante. Muitos esquecem que ao ferir o próximo esta se ferindo também.

16 de nov de 2011

Minha única loucura



A minha loucura
É tão bucólico quanto à razão
Desdoura minha mente
Em único doloroso coração
Perplexa são as imagens
Que fazem a loucura
Refletidas no céu
Minha confusa razão
Psicose ampla
Cabeça pampa
Tal loucura
Abre atalhos
Pelos caminhos árduos
De momentos sucessivos
De atalhos céleres
De amores eternos
Que acabam no dia seguinte
A vida é assim
Fria a mim

15 de nov de 2011

Quando há felicidade


Quando a felicidade reina, em tudo que você fizer, até nos erros, ela estará lá, para te mostrar sempre o lado que te trará satisfação.

14 de nov de 2011

A boca da noite



A boca da noite possante
Os períodos vibrantes
De um estonteante poeta
No imo, lembranças póstumas
De um crepúsculo anil
De uma benevolência viril
Dos tempos das bilas
Das garotas tímidas
Das paixões ínfimas
Lembro-me de mim
Como uma pena
Que ausentar-se de si
E encontraste um poeta

13 de nov de 2011

Hey You

Nenhuma palavra que eu disesse aqui poderia descrever o que eu sinto ao ouvir e ver Pink Floyd.
Essa é para mim uma das melhores músicas para se ouvir numa madrugada, ao qual você esta quase sedado pelo sono e mesmo assim insiste em ficar acordado, em que toda sua casa dorme, vindo assim aquele silêncio imensurável.


Esfinge


Não adianta querer falar de algo, pois tudo vai chegar a tal ponto, o mesmo assunto de sempre, certas coisas que atingem nossa alma, por mais que tentemos nos livrar, ela nos impregna na mente, no corpo, no ser, e principalmente nas palavras, toda vida que tento pensar, só penso nisso, e quando penso nisso, é algo absoluto, não há como não pensar, em algo que vive tão intimo com a minha mente, quando tem que ser, será.

12 de nov de 2011

O vermelho cobiçado



Almejam o meu sangue
Para manifestar-se
Nos falsos muros de Berlim
Frases de dedicação e ódio
E ditar a mesma verdade enfim
Eles querem o meu vermelho
Pois ele é vivaz e quente
Querem abodegar as ruas
Para ditar as verdades
Verdades que metem
Na carne desnuda e crua
Querem marcar seus ideais
Em tezes de cordeiros
Seremos todos iguais?
Ou meros desordeiros
Eles almejam o meu sangue
Para fazerem suas verdades
Verdades com existência

Mundo Morderno

Queria eu ser 10% do que esse gênio é, Chico para mim não é somente um excelente humorista, é um excelente crítico e um íntegro homem, em muitas coisas que ele já escreveu, e já fez, o Monólogo do Mundo Moderno foi o que mais me chamou atenção, tanto pelo detalhe peculiar de que todo o texto é feito somente por palavras que comecem por "m" e também por se assemelhar muito com minhas idéias, foi um texto ao qual me identifiquei e agora estou postando aqui em um video.


11 de nov de 2011

Buraco negro




Nesse buraco negro
Vejo somente uma fresta de luz
Não me vejo, apesar de tentar
A negritude me conduz
A solidão tenta me matar
Nesse buraco negro
Que suga tudo que reluz
A escuridão é eterna
Meus rebentos findados
Foram selados
Minha única visão
É a escuridão
O buraco negro
Negro como meu coração

10 de nov de 2011

Criança imaginária



Queria voltar a ser criança iludida
E acreditar num mundo perfeito
O que será feito quando eu morrer
Lembraram de mim
Leram minhas poesias rebeldes
Ou as queimaram junto com as lembranças
Será que existe algo perfeito
Ou sou eu que vejo tudo errado
As pessoas se matando
Nenhum culpado
O que será de mim
Quando os vermes esfomeados
Comerem minhas idéias
Conformarei-me que sou culpado
Conformarei-me que sou errado
Afinal não sou nada além de átomos
Que se confrontam
Querendo se libertar

9 de nov de 2011

Um louco convencional



Sinto-me tão aprisionado a mim
Tão franco aos diversos olhos
Sou o plagio do exato enfim
A alucinação me espreita de novo
O púbere me rejeita longe dos confins
Meu afeto é ilusão, que grita sem fim
Meu deliro é tão grande, Oh povo
Deixa-me assim, calado, sem mim
Sou tão perturbado que observo a dor
E digo que é jasmim, o odor do amor
Consome-me, tal como, você me come
Viro algo, mas não viro gente
Viro a cara do indigente, digo sou assim
No que podes ser, louco, gênio ou natural
O louco foi-me mais convencional

8 de nov de 2011

Nossa página no facebook

Para quem nos visita diariamente ou esta nos visitando agora, convido-os a participar da nossa página no facebook, assim podendo saber das atualizações do blog através do seu perfil.
https://www.facebook.com/pages/Palavras-de-Lucidez/186997614698842

Humildade


Posso ser forte e destruir vários gigantes, posso ser inteligente e descobrir varias curas, posso ser a doença para o mal desse mundo, posso eu ser quem eu quero, posso eu ser você, posso ser tudo, e posso ser o nada, não importa o que eu seja capaz de fazer, mas que eu nunca perca minha humilde, de saber que sou humano, igual a todos, e que um dia todos nos estaremos na mesma situação, embaixo da terra, a sete palmos.

7 de nov de 2011

Verdades de um mundo capitalista



A nossa verdade é tão entupida de mentiras e preceitos, que muitas vezes nossa mentira é bem mais sincera que nossa verdade.