Os lúcidos seguidores

30 de mai de 2012

A ilusão do poder



A ilusão do poder
É a vontade de querer
Sem nunca puder ter
Aquilo que se tem
Mas nunca vai saber

26 de mai de 2012

Palavras de um fim qualquer




            Escrevi tanto que fiquei íntimo das minhas palavras. E minhas palavras, exageradas em meu ser, ficaram distorcidas. Me perdi nas entrelinhas. Meu prazer virou veneno. Minhas palavras descreviam o meu falso fim. Ainda bem que eu vi que as palavras são apenas palavras. E que, com elas, eu faço meu começo e meu recomeço. E por isso não temo, mais nenhum fim.


"Aquele homem horroroso..."

Sim, por que começar essa postagem como essas palavras???

Dessa forma a GIGANTE Clarice Lispector falava de Álvaro Lins para sua irmã.

" Aquele homem horroroso publicou algo mais sobre mim?"

Álvaro dizia que o trabalho de Clarice era falho, vago... Ela realmente se sentia mal com isso...

Engraçado... Clarice Lispector recebia críticas e sofria, mas ela desistiu?
Acho que não, viu...

Queria só dizer isso por causa de um amigo, ele escreve, tem recebido muitas críticas e não são das mais construtivas... Ele quer desistir, mas sabe... Acho que assim é bom, assim ele procura melhorar, se aprimorar, mudar... E isso é bom, ele não fica estagnado, buscar melhorar é o que há.

Amo quando me criticam... Na hora não, na hora eu choro -mesmo- mas depois eu vejo, poxa, pode ser bom.

Você é o que você busca e faz.

Desistir por causa de uma, duas ou mil críticas???

Imagina se Lispector, essa rainha, desistisse...

Beijos lindos *-*

21 de mai de 2012

Passos Marcados




O tempo é perfeito no futuro
O futuro é sempre pensamento
O tempo meio sem jeito
Passou no seu passo marcado
Momentos carregados
O tempo constante
Constantemente me faz duvidoso
Sobre um futuro recente
Só me resta no tempo de agora
As lembranças de outrora 

16 de mai de 2012

Uma busca incessante



Procuro numa busca incessante
A sobriedade que deixei esvair nos momentos de devaneios
Procuro para ter o mínimo de lucidez
Quando eu me perder de mim
Procuro a sobriedade no último gole, no beijo mal amado
Embaixo da minha cama velha, porém mal usada
Nas regras de sobrevivência, eu a procurei
Que a sobriedade ilumine meu caminho árduo
E que me envenene com sua razão

15 de mai de 2012

O óbvio



            Nenhuma palavra de consolação. Para quê? Ninguém pode discordar do óbvio. Depois de tanto tempo, de diversos sentimentos, esperei aquilo que achava ser óbvio. Mas o óbvio sempre está de baixo do nosso nariz. Meus olhos, com a velha mania de sempre, tenta ver além de tudo, além de mim mesmo. Eu olhei tão longe, que tropecei nos meus próprios passos. Caí de cara na obviedade do momento. Ninguém me consolou e nem me consolará. O óbvio é a conformidade disfarçada, e eu só tenho que me conformar.

13 de mai de 2012

Chico Buarque de Hollanda


            Se tem um cara que eu sou fã, é Chico Buarque de Hollanda.


          



         Acho suas músicas simples e intensas. Muitas e muitas vezes, já me inspirei com suas musicas e com seus textos. Que me perdoem todos os outros músicos, mas Chico Buarque para mim, é o melhor músico brasileiro. Chico é de uma inteligência muita grande, além de um excelente músico, é dramaturgo e escritor. Já tendo recebido diversos prêmios nas três áreas de atuação.



            

Filho do historiador Sérgio Buarque de Holanda, iniciou sua carreira como escritor em 1962, quando escreveu seu primeiro conto aos 18 anos, ganhando destaque como cantor a partir de 1966, quando lançou seu primeiro álbum, Chico Buarque de Hollanda, e venceu o Festival de Música Popular Brasileira com a música A Banda.


















A banda é umas das minhas músicas prediletas.

                 
               Chico nasceu em 19 de junho de 1944 na cidade do Rio de Janeiro.
               
     

               Construção, é um dos grandes sucessos de Chico Buarque.
           
               Chico Buarque foi um artista muito atuante, em parte da ditadura militar.


             A palavra cálice da letra dessa música, pode ser entendido, como cala-se, de calar a boca, ou cálice que existem nas igrejas, no qual você bebe vinho. Essa foi uma das formas de burlar a ditadura na sua censura.
            O meu estilo de música nunca foi a MPB, mas algumas exceções vieram. Uma delas foi Chico Buarque de Hollanda.
           
            E como hoje, é o dia das mães, dedico a elas uma música de Chico Buarque.
            

12 de mai de 2012

Leminskando

Hoje eu preciso falar de um cara que eu realmente admiro, sensível, inteligente, expressivo, crítico, Leminski, Leminski, Leminki!!!!

Deveria haver um adjetivo pra resumir todas as características supracitadas e esse deveria ser Leminski.

Amo a poesia dele, amo a obra dele, amo tudo! Até seu bigode estranho.

Não é função minha fazer alguém amar alguém, mas pelo menos conhecer.

E de preferência, conheça e AME! *-*




Eu aqui, leminskando, até já quis fazer uma tatuagem dele, não vou dizer de qual poesia, mas eu realmente já quis. E só desisti porque eu sou muito volátil.

De qualquer forma, olha umas pichações dele, muito famosas, por sinal ->

Ah, claro, delicie-se com algumas poesias dele:

Se
"se
nem
for
terra
se
trans
for
mar"

"Abrindo um antigo caderno
foi que eu descobri:
Antigamente eu era eterno. "


"não discuto
com o destino
o que pintar
eu assino"




Bom, estão aí três poeminhas *-*

Um deles é o meu escolhido preferido.

Cada um escolhe o que gosta e aproveita como quiser.

Beijos gráficos.

Vitrola de sensações

              
                
                O prazer inigualável de se ouvir o leve ruído, vendo o vinil rodar. Junto ao disco, vejo a velha agulha libertar a música, e ela há de se formar. Perto fico a contemplar a música, como se ela fosse algo que eu pudesse tocar. Num velho e quase extinto ritual, fico sentado a ouvir e a absorver o momento, em que os ruídos que formam o som, transformam esse ser.
                

11 de mai de 2012

1969 um ano que marcou o rock



            No dia 30 de janeiro de 1969 os Beatles parariam por alguns minutos o centro de Londres ao fazer sua última performance ao vivo no teto da gravadora Apple. Depois de trinta minutos, a policia colocou um fim na "festa". Logo depois, a banda retornou ao lendário estúdio londrino Abbey Road para gravar seu último álbum (que chegaria ás lojas no dia 26 de setembro), aquele que é considerado, ao lado de Sgt. Pepper´s Lonely Hearts Club Band , o melhor trabalho do quarteto: Abbey Road.
            Além de ser indiscutivelmente uma obra-prima, Abbey Road serviu também para imortalizar a faixa de pedestres mais famosa do planeta. Na manhã de 8 de agosto, John, Paul, George e Ringo foram fotografados por Iain Macmillan (falecido no dia 8 de maio de 2006 atravessando a tal faixa de pedestres, que fica cerca de cinquenta metros do estúdio) e desde então aquela travessia é feita diariamente por dezenas de fãs de todo o mundo.

          Ainda na Inglaterra, enquanto era lançado no dia 12 de janeiro o disco de estréia do Led Zeppelin, uma banda de Birminghan (ING) mudava seu nome de Earth para Black Sabbath. O King Crimson era formado e seu primeiro álbum, In The Court Of The Crimson King, se tornaria um clássico. O The Who  lançaria o álbum da Opera Rock Tommy enquanto Elton John dava inicio á sua carreira solo com o álbum Empty Sky . Também na Inglaterra surgia o Supertramp.
           E teve o woodstock, realizado entre os dias 15 e 18 de agosto de 1969 na fazenda de 600 acres de Max Yasgur na cidade rural de Bethel, no estado de Nova YorkEstados Unidos. Anunciado como "Uma Exposição Aquariana: 3 Dias de Paz & Música", o festival deveria ocorrer originalmente na pequena cidade de Woodstock, mas os moradores locais não aceitaram, o que levou o evento para a pequena Bethel, a uma hora e meia de distância.

10 de mai de 2012

Um código esquecido



            Meu ser é viciado, pelas velhas palavras de sempre. Palavras essas que viraram cartas. Palavras repetidas. Meu corpo é um código esquecido, minha alma é o um segredo, e minha razão é uma fenda. Minhas diversas expressões, são apenas desabafos de um ser inflado, de questionamentos e incertezas. Meu sangue é uma tinta, procurando um papel qualquer, para desenhar segredos sobre mim. Meu ser é um prisão de momentos. Meu ser se acumula com o tempo que corre, e se transforma com a vida que passa.

9 de mai de 2012

O Paradoxo da Espera do Ônibus - Curta-metragem

Mas um curta.


Roteiro: Christian Caselli 
Narração: Chico Serra 
Produção Executiva: Guilherme Whitaker 
Arte e Desenhos: Gabriel Renner 


Sinopse: Homem espera em vão o ônibus. Em vão? Ora, se o ônibus está demorando, então ele está mais perto de chegar. 

8 de mai de 2012

O retrato de um conformado


            Eu poderia ter gritado e esperneado, mas de nada adiantaria. Eu vi fatos que preferia nunca ter visto. Eu me vi destruído, em um corpo intacto. De certa forma, já me conformava com a mentira. Ingerir toda uma verdade, de uma só vez. Inconformado, vomitei no banheiro tudo aquilo que ingeri. A verdade para o iludido é um veneno mortal. Por isso quase morri.

7 de mai de 2012

Palíndromo - Curta-metragem

Depois de um tempo sem postar nenhum curta, hoje estou postando esse.


Produção: Juliana Santonieri 
Fotografia: Hélcio Alemão Nagamine 
Roteiro: Philippe Barcinski 
Edição: Raimo Benedetti 
Som Direto: Fernanda Ramos 
Direção de Arte: Fernanda Britto 
Trilha original: Antônio PintoTejo 








Sinopse: Um homem perde tudo que tem. Uma história simples contada de forma inusitada.