Os lúcidos seguidores

26 de jul de 2012

Uma mulher vivida



       Ela era mulher de boas palavras, estudiosa, bonita e sabia das coisas do mundo. O mundo já tinha feito dela coisas, que a fizeram ser madura antes do tempo. O seu olhar tinha olheiras, pois durante a noite não conseguia dormir, ela criticava a correria do dia-a-dia, mas no fundo dependia daquilo para puder se questionar, e de noite com todo o silencio fúnebre, ele se sentia vazia. Justamente por sentir falta do mundo, que um o dia a fez de capacho.

22 de jul de 2012

A origem



             
 Por mais que nossos corpos se mudem de forma dissimulada de locais, sem se importar com os outros corpos, nossos corações e parte de nossas mentes, não compreendem tamanho falta de consideração, e se prendem longe dos nossos corpos, se prendem na origem que os cativou.

18 de jul de 2012

A tediosa rotina



            O tempo da nossa rotina nos consome por inteiro. Consome o espírito. A calma. Nos perturba a noite, quando tentamos dormir. Nos cutuca justamente quando estamos a pensar. O tempo da rotina me come pelos pés, e me consome por inteiro. Vivemos para a rotina, para só assim conseguirmos girar as engrenagens da nossa civilização.

Arriscar-se



            A coragem não esta simplesmente em arriscar algo novo, mas estar em arriscar algo, quando tudo esta em perfeita harmonia e não em desespero. Pois quando estamos desesperados, não dependemos da coragem.

15 de jul de 2012

Um sonho chamado liberdade



            Depois de muitos anos sendo escravo, longe de sua família e de seus amigos, longe de tudo que conhecia, ele se vê livre. Por motivos que o destino desconhece, o levaram para caminhada de sua terra natal. Por sorte talvez. Mas esse novo homem livre, olha como uma certa estranheza sua liberdade. Nos seus lábios não se vê sorriso, nem tristeza. Se vê apenas um olhar castigado, tentando reconhecer aquilo que lhe foi tirado. Afinal terá agora que aprender o que é liberdade, pois liberdade até então só era um sonho.

Eu gosto de quem não gosta de mim




            Eu gosto de quem não gosta de mim. Talvez não seja o certo. O tempo cura as mágoas, o tempo leva tudo, mas no meu caso, deixou a amizade. A consideração. Os outros talvez não tenham se curado, do velho mal da humanidade. Que os cega. Eles não me dizem nenhuma palavra, e nem eu tenho mais palavras para tentar algo. Só tenho a me lamentar, pois eu gosto de quem não gosta de mim. E assim sou eu.

14 de jul de 2012

Mulher menina



            Ela viveu nos sonhos de criança e hoje se perdeu nos problemas de adulto. Se fez madura pelos problemas de uma vida injusta, se fez mulher pelos hormônios que a forçaram fazer o que talvez nunca tivesse imaginado. Hoje é mulher, conhecedora da dor, mas quando dorme não deixa de pensar na bonecas escondidas em baixo de sua cama. Mulher menina. Iludida pelo mundo ou pela idade.

13 de jul de 2012

Momentos de um ser qualquer



            Passei por situações que ninguém saberia descrever, de tão intimas e talvez sofridas. Revoluções alguém diria. Além do tempo marcado e do vício dos homens. Meu íntimo calejado, talvez menosprezado, é um ser errante. Vivo eu conforme o passo, o passo marcado, marcado por mim e contrário a todos. Passo, passei e passarei por momentos que só eu saberei descrever, porque esses momentos serão meus e de mais ninguém.

12 de jul de 2012

A terra do homem



            Passo pelos meus desertos, passo pela sede e pelo calor. No caminho fico a sonhar, com a minha chegada e com a minha vida. Sonho tanto que até esqueço do calor e da sede. Sonho a ponto de esquecer, que estou sonhando. Como se o sonho fosse uma realidade e a realidade se esvai pelo tempo perdido, que fico a sonhar. Depois que eu passo pelos desertos, as marcas do sol me lembram da realidade que eu fugi.