Os lúcidos seguidores

12 de jul de 2012

A terra do homem



            Passo pelos meus desertos, passo pela sede e pelo calor. No caminho fico a sonhar, com a minha chegada e com a minha vida. Sonho tanto que até esqueço do calor e da sede. Sonho a ponto de esquecer, que estou sonhando. Como se o sonho fosse uma realidade e a realidade se esvai pelo tempo perdido, que fico a sonhar. Depois que eu passo pelos desertos, as marcas do sol me lembram da realidade que eu fugi.

Nenhum comentário: