Os lúcidos seguidores

14 de nov de 2011

A boca da noite



A boca da noite possante
Os períodos vibrantes
De um estonteante poeta
No imo, lembranças póstumas
De um crepúsculo anil
De uma benevolência viril
Dos tempos das bilas
Das garotas tímidas
Das paixões ínfimas
Lembro-me de mim
Como uma pena
Que ausentar-se de si
E encontraste um poeta

Nenhum comentário: