Os lúcidos seguidores

28 de ago de 2012

Os velhos olhos




            Os velhos olhos de uma moça, voltaram. Um mundo aos seus pés. Pés de moça, mas que escondem os calos, que muitos homens não há de ter. Ela acha graça nas cantadas, mas não liga para isso, já esta vacinada contra o males. A moça, talvez só tenha corpo de moça. Bebe a partir das dez e vira a noite, dançando com sua solidão e cantando o seus males. Faz de sua vida uma história, que causa inveja, afinal com tão pouco se faz feliz. Guarda a felicidade nos copos que ela insiste em virar, mas não depende só deles. A felicidade da moça, é ela quem faz, no copo, na dança, no beijo mal amado ou até mesmo no tapa que se leva, ao dizer a verdade. A verdade não a choca, ela vive sem pudores e rir das ilusões alheias. Os velhos olhos voltaram, mostrando escancaradamente a verdade por trás desse mistério, conhecido apenas como moça.

Nenhum comentário: