Os lúcidos seguidores

28 de out de 2011

Eu numa sexta monotona



Numa sexta feira a noite, sem dinheiro, sem mulher, sem amigos para conversar, conversas sem sentido, para ver o tempo passar, sua mente já entorpecida pela monotonia da noite, o silêncio, a vontade de uma madrugada, que pelo menos o entretenha, o desejo do copo de cerveja, com os amigos ao redor, a vontade de sair para qualquer lugar que não seja a sua casa, para ver os outras paredes que não sejam as do seu quarto, vontade reprimida. A noite mal começou, enquanto uns bebem e riem a toa, você se deita e dorme, deixando passar o tempo.

Nenhum comentário: