Os lúcidos seguidores

25 de ago de 2012

Minha cúmplice



            Já cheguei ao desespero de sair andando por ai, para vê se eu achava aquilo que eu queria, mas que não sabia distinguir. O eu metamórfico que existe em meus pensamentos e nos desejos incontidos, me denuncia. Nas ruas que eu andei e andei, deixei partes de mim, que escorriam a chão. Agora no vazio do meu corpo me pergunto, o que eu faço da vida? Meu ser é o chão da calçada mal feita. A rua é a minha cúmplice, a prova viva da minha loucura.

Nenhum comentário: