Os lúcidos seguidores

7 de jul de 2013

Não preciso do óbvio


Não preciso ouvir o adeus
Para ver que o fim já esbarra em mim
Não preciso da obviedade
Para ver aquilo que eu sempre vi
Realidades que cercam e que me fazem
Não preciso ver seus olhos
Para saber de sua tristeza
Pois a tristeza já faz parte de mim
Não preciso de alguém
Talvez de você
Não preciso te falar certas palavras
Pois você sabe a realidade em que vive
E as ilusões que te alimentam
E não sou eu que vou ditar
Eu não preciso da obviedade
Preciso da complexidade
Complexa mulher que se desfaz
Se desfaz em pura simplicidade

Nenhum comentário: