Os lúcidos seguidores

18 de jun de 2014

O meu verdadeiro eu íntimo


Uma mulher abriu o meu peito

Escancarado mostrei ao mundo

O meu verdadeiro eu íntimo

Muitos que olharam sem jeito

Se perderam na infinidade

Outros poucos como ela

Decifraram com os olhos de poesia

Que o meu ser é revelia

Ama quando se deve amar

Apaixona-se quando menos esperar

Nenhum comentário: