Os lúcidos seguidores

22 de jan de 2012

Quando eu sair pela porta


Eu reclamei em um tom desatento
Que talvez nunca te amei
No meu olhar perdido de desejo
Apenas te desejei sem fim
Sei que o passo que dei
Foi pra ficar longe de ti
Iludido na tola distância
Ilusão quebrada e realidade amarga
Vi que você estava comigo
Como o abrigo cego do sentimento
Talvez menino, fui, enganado por si mesmo
Não tinha fé nas palavras minhas
Por isso reclamei em tom debochado
Para você não acreditar em mim
Quando eu sair pela porta atrasado

Nenhum comentário: