Os lúcidos seguidores

16 de fev de 2012

Dentro de mim


Não sei o que eu guardo dentro de mim
Amores relevados ou erros sem fim
Esses meus olhos calejados e viciados
Veem o desejo desesperado, desse corpo armado
Sei que não sou candidato a santo
Não tenho culpa que os pecados
Sempre andam ao meu lado, guiando meus passos
Não sei o que eu guardo dentro de mim
A duvida, a certeza, ou um bar sem gim
Para afogar minhas incertezas
Sobre a certezas do amor
Nas madrugadas eu olho no espelho
Uma jogada, para tentar ver
Homem sem magoas


Nenhum comentário: