Os lúcidos seguidores

19 de mar de 2012

Um pouco de Cassia Eller


           
            Cassia Eller, esse é o nome de uma das maiores interpretes musicais brasileira. Cassia mal compôs em sua vida, no máximo três músicas, o que ela gostava mesmo era de interpretar e fez isso divinamente bem.
            Com uma presença de palco gigantesca, posso dizer que foi uma mulher que marcou a vida de muitas pessoas, pelas suas atitudes bem escancaradas, de uma forma que a definiu única, como no rock in rio de 2001, me lembro assistindo pela TV quando ela ainda estava no palco e de repente levantou sua blusa mostrando os seios para umas cem mil pessoas. Também marcou por sua vida em si, pois era homossexual assumida, não tinha "meias palavras" para falar no assunto, era totalmente liberal quanto a isso. Outro fato que marcou sua imagem, foi o fato dele ser usuária de drogas.

            Cassia foi minha primeira cantora ou banda que me identifiquei, depois eu viria a conhecer Raul. Com certeza foi algo que marcou minha infância, comecinho da adolescência. E até hoje ela ainda me inspira a muitos, textos, poesias e etc.
            Cassia era filha de militar e de uma dona-de-casa. Viveu em quatro estados. Nasceu em BH, ainda pequena foi para o Pará, dois anos depois, foi para Brasília, e nesta cidade começou de fato a cantar. Participou de corais, de uma banda de forró, de um trio elétrico denominado Massa Real e por fim tocou surdo em grupo de samba. Marcou em sua carreira com seu ecletismo musical interpretando diversos artistas, de estilos distintos, como: Chico Buarque, Beatles, Nando Reis, Cazuza, Frejat, Renato Russo, Riachão e entre outros.

           
           Cassia Eller teve um filho chamado Francisco, apelidado por ela de Chicão. Ela teve o filho com o baixista Tavinho, mas o pai não chegou nem a conhecer o filho, pois o mesmo faleceu pouco tempo antes dele nascer. Quando o filho de Cassia nasceu, acabou sendo criado com a sua companheira, Maria Eugênia, que posteriormente ganharia na justiça brasileira o direito de ficar com ele.
            2001, foi o melhor e também o último ano de Cassia Eller. Nesse ano ela foi para o Rock in Rio no qual, cantou ao lado de grandes nomes, chegou até cantar parabéns com o Dave Grohl, aproximou-se até cumprimenta-lo, já que Cassia Eller era uma fã declarada de Nirvana. E nesse mesmo ano, faria uma grande quantidade de shows que talvez nunca tivesse feito em sua vida, e assim vivendo um momento excelente de sua carreira, teve a oportunidade de gravar um DVD acústico, já que ela priorizava canções ao vivo e como gostava de cantar, no DVD, ela teve uma qualidade de músicos, como de letras e direção, conseguindo no começo da pirataria, mais de um milhão de cópias vendidas. O seu maior sucesso até hoje.
            E no dia 29 de Dezembro, viria a falecer de um ataque cardíaco. Dois dias antes do ano novo. Na época do ocorrido, houvera boatos de que tinha havido um erro médico, já que pensaram que ela estava tendo uma overdose por ser uma usuária de cocaína, mas na verdade tinha tido um ataque cardíaco.
            E ainda hoje é muito nítido para mim, lembrar do dia em que ela morreu. Lembro-me do exato momento onde estava, e da minha surpresa do fato de sua morte, e depois eu indo correndo para dizer para a minha mãe.

         

            A música malandragem, letra de Cazuza e Frejat, tem uma história bem curiosa, pois essa música era para Angela Rôrô, mas esta se negou a gravá-la, e a letra ficou perdida até que Cassia Eller no seu acústico, a grava e a torna imortal em sua voz. A letra pode ter sida escrita para Angela, mas hoje ninguém consegue ouví-la sem pensar em Cassia Eller.

Nenhum comentário: