Os lúcidos seguidores

29 de dez de 2013

Um falso boêmio



           Um corpo mergulhado em sua infinita solidão, inconformado com o destino, um admirador do por do sol e dos amanheceres. Um corpo. Um copo vazio, que sente falta do liquido que o preenchia. Um copo. Um corpo limpo que bebe somente água que deus fez e não bebe mais o aguardente, que o homem criou, pois seu corpo agora é um vidro frágil.

Nenhum comentário: