Os lúcidos seguidores

11 de fev de 2012

Não negue



Não negue aquilo que te dei
Talvez não sincero, mas verdadeiro
É tudo revelia, mas aceite
Talvez vermelho como sangue
É apenas alegria desse ser
Que se queima de sentimento
Que se ilude de você
Que se atiça desse meu querer
Talvez não o primeiro
Mas como se fosse o último
Faço tudo para não ter o próximo
Mergulho tentando me afogar
Dentro do teu vermelho quente
Apenas vejo desejo incompreendido
Teu olhar não me persegue
O meu teu segue, perdido
No teu corpo bandido, apenas a amar

Nenhum comentário: