Os lúcidos seguidores

13 de mar de 2012

As lástimas de um homem



As tuas lástimas pelas consequências do homem moderno
Pela obviedade do momento e pelas leis
Não podem ser traduzidas em poesia
Nem mesmo em simples palavras jogadas
As tuas lástimas escondidas entre teu peito franzino
Que inflama e te consome, só podem ser sentidas
E ao levar do tempo, consumidas
E no término, maturidade saciada de momentos, evoluirá
Sobre o homem, o mesmo que te ludibriou

Nenhum comentário: