Os lúcidos seguidores

13 de jan de 2013

O ego



                       Ela se viu por dentro. Se viu calada. Nutriu suas ilusões, refez suas histórias e alimentou a pão de ló o seu ego. Com um gosto de orgulho e uma textura de irracionalidade. Um absurdo para pouca idade. Por dentro se faz um enorme eco. A voz construtiva nunca chegou a tal vão, a voz retrativa se amplifica. Danifica. O medo a perseguia e a ilusão a fazia. Ao olhar para dentro surgia o medo de se perder. Se perder no meio da realidade que ela escondia. O ego a comia e a refazia do jeito que ela queria ser. O ego é infinito comparado a pouca e quase nenhuma personalidade de ver tudo aquilo que devemos.

Nenhum comentário: