Os lúcidos seguidores

15 de mar de 2013

Éramos dois



              Éramos dois, talvez um, na dança da vida, acabamos nos colidindo e se fundindo então. Vivíamos no prazer do não. As paredes de concreto, era um mundo incerto, separando o prazer, da minha visão. Na decadência do ser, me vir se desfazer em partes, de um quebra cabeça. Meu coração se perdeu na carência, o resto se perdeu na indecência, na cadência dos seus passos, fui partindo, desse mundo aparte, para realidade que me destruía.

Nenhum comentário: