Os lúcidos seguidores

7 de jan de 2012

Não me julgue


Não me olhe assim, como se culpa fosse minha
A vida é o que é, não podemos muda-la, apenas aceita-la 
Convivemos por amor, e por amor morreremos
Nos iludimos nas palavras, e nelas vivemos a verdade
A verdade de que a gente se ilude, nessas bocas sedutoras
Somos apenas homem e mulher, discutindo a relação
Dessa vida que a gente quer, por isso não julgue
Não me olhe assim, como se a culpa fosse minha
Sabemos muito bem, que amor é um espinho que convém
Sangra, dor, ilusão, tudo em troca de um prazer
Viver e apenas viver pelo amor
Mesmo que com isso, morerremos de dor
Por isso não me culpe, se te amei demais
Se alimentei em ti, a vontade de me querer
Pois nos meus dias, nas noites sem fim
Só ficava pensando e pensando
Em um dia te ter



Nenhum comentário: